Medo de advogar: e agora?

Medo de advogar: e agora?

O medo de advogar se tornou um problema recorrente entre os advogados recém-formados, e um dos motivos está ligado ao fato das universidades não conseguirem preparar seus estudantes para prática da advocacia.

Outro fato que tem contribuído diretamente para insegurança dos advogados iniciantes é a falta de especialização em alguma área de atuação do direito.

O pavor dos profissionais de direito principiantes apresenta-se desde a confecção de uma simples petição até a uma curta sustentação oral na frente do juiz.

A verdade é que a inexperiência faz potencializar a sensação de despreparo, ansiedade e medo, podendo causar até mesmo sintomas físicos.

Diante de tantos desafios, veja agora as dicas que preparamos para ajudar os advogados(as) recém-formados a passarem por esse estágio inicial da sua carreira.

Descubra a origem do problema

 

Em primeiro lugar, não há como se livrar dos problemas sem ao menos saber a origem deles.

Existem diversos motivos que podem desencadear o medo de advogar, e o profissional que deseja se livrar o quanto antes desse estado emocional, precisa realizar uma autoanálise.

O reconhecimento da causa raiz do medo traz consigo perguntas como:  Por que estou me sentindo assim? Qual momento exato que me desperta o medo? Como consigo lidar com essa questão?

É natural que os advogados sintam receio ao começar a sua vida profissional, entretanto, o medo irracional e a insegurança contínua podem gerar perdas de grandes oportunidades de crescimento.

Vale ressaltar que se o medo está atrapalhando seus planos e reprimindo suas conquistas de tal forma que você já não sabe mais o que fazer, procure um profissional qualificado para te auxiliar nessa batalha.

 Leia também: As habilidades dos advogados de sucesso!

Não se compare

É inevitável sentir que você poderia ser mais do que é, contudo, a situação fica ainda pior quando há uma comparação com aquele amigo de faculdade que já abriu seu próprio escritório ou aquele colega de trabalho que parece estar angariando mais clientes do que você.

A verdade é que a comparação sempre se fará mais intensa nas redes sociais, onde os indivíduos têm mais facilidade em criarem versões mais interessantes da própria vida, especialmente de âmbito social e profissional.

Compreenda que é bastante cansativo ter que balancear o medo de advogar com o sentimento de que “está ficando para trás”, tal comportamento costuma gerar autossabotagem e frustração.

Um dos grandes erros dos advogados iniciantes pode ser dirimido se esse sentimento for administrado de uma forma mais saudável.

A dica é se inspirar em grandes mestres do direito, ajudar genuinamente outros advogados iniciantes e buscar conhecimento de qualidade, respeitando seu próprio ritmo.

Você pode gostar: Teste: que tipo de advogado você é?

Cultive bons pensamentos

 Pode aparentar ser uma dica clichê, entretanto, você poderá se surpreender se conseguir cultivar pensamentos positivos sobre você e sua carreira profissional.

Muitos advogados iniciantes não sabem, mas estão presos na famosa “síndrome do impostor”.

A síndrome impostora nada mais é do que um conjunto de emoções que fazem você crer que não é capaz de prosperar e conquistar patamares mais altos no ambiente de trabalho.

A autocrítica exacerbada, autodepreciação do seu progresso e insegurança desmedida são sintomas da síndrome.

Ao começar advogar, tente reduzir os seus medos com valorização de pequenas atividades concluídas, desenvolva pensamentos positivos quando estiver alimentando preocupações desnecessárias e por fim, tente ser grato por cada passo dado ao iniciar na advocacia, ainda que seja o primeiro.

 Se especialize e advogue com confiança: Conheça nossos cursos!

Seja um advogado iniciante

Não é um paradoxo, o fato é que para você perder o medo de advogar, você precisa estar advogando.

O profissional recém-formado precisa estar em constante movimento, é necessário que você se empenhe para realizar trabalhos simples e complexos.

Com tantos profissionais no mercado, ter coragem para atender, angariar clientes, realizar audiências, proferir relatórios e efetuar outras práticas jurídicas, te colocará na frente da concorrência, enquanto adquire mais segurança e experiência.

Jamais esconda que você é um advogado iniciante, isso não é motivo para vergonha, muito pelo contrário, pode ser uma via para novas possibilidades.

Peça ajuda aos que já estão na estrada jurídica há algum tempo, se esforce para entregar um bom trabalho e tenha em mente que é só o início.

Leia também: Como se tornar um advogado de sucesso?

Troque parcerias

 Se você tem medo de advogar, o indicado é que você realize aquele famoso “networking”, ou seja, crie uma rede de apoio profissional.

Em tese, significa dizer que um advogado ajudará e indicará o outro que não seja da sua área de especialização.

Conforme as parcerias forem acontecendo, o advogado recém-formado se tornará mais confiante para trabalhar na área que escolheu, ao passo que também poderá agregar sua experiência prática com outros profissionais.

Fazer “networking” não significa dizer que o medo será totalmente extinto, entretanto, a tendência é que você ganhe uma dose de coragem para “sair da zona de conforto”, portanto, entre em contato com outros profissionais através de sites jurídicos como migalhas e jusbrasil para começar a colocar em prática este ponto importante.

Um local bastante propício para trocar vivências, tirar dúvidas e até mesmo criar laços de amizades, é realizar uma pós-graduação que tenha a possiblidade de comunicação com outros colegas de profissão.

Use as ferramentas necessárias

Se você é um advogado inexperiente e está amedrontado em iniciar no mercado de trabalho, saiba que existem ferramentas que poderão te oferecer mais praticidade e tempo, consequentemente diminuindo seus medos e preocupações.

Se você tem contato direto com a prática jurídica, já deve ter ouvido falar que o Google possui ferramentas gratuitas que podem ser utilizadas por qualquer pessoa.

Uma dessas ferramentas é o Google Calendar que nada mais é do que um serviço de agenda e calendário que pode facilitar bastante na rotina profissional.

Outra ferramenta importante que poderá ajudar na organização e gerenciamento dos trabalhos é o ASANA, muitos advogados não conhecem, contudo, esse aplicativo pode melhorar significativamente sua produtividade e diminuir suas aflições em relação a prazos e reuniões marcadas.

Por último, não menos importante, conheça a maior plataforma de streaming jurídico que é capaz de elevar seu conhecimento prático com cursos livres e certificações, tudo isso de uma forma objetiva e descontraída, conheça o Álbero

Invista no seu preparo

Por óbvio, o “advogado faz tudo” tem mais propensão a desenvolver temores sobre a advocacia do que o advogado especialista.

Investir em si mesmo não é mais um requisito básico, mas algo imprescindível na atual conjuntura do mercado de trabalho jurídico.

O medo atrai prejuízos e distrações, por isso, escolha um ramo do direito em que você mais tenha afinidade e se especialize.

Escolha uma instituição que compreenda seus anseios e suavize suas preocupações, opte por uma especialização que fortaleça sua autoconfiança e faça você se sentir pronto para se tornar um advogado(a) admirado e requisitado.

Perder o medo de advogar nem sempre é uma tarefa fácil, mas essas dicas irão clarear um pouco o seu caminho.

Foque na busca por conhecimento prático e vivencie seus melhores anos na advocacia!

Na ESA você aprende com grandes mestres experientes do direito, com foco total na advocacia prática!

Conheça os cursos da Pós Esa!

#vemparaESA

 



×