O que é um advogado empreendedor?Qual a importância de ser um advogado empreendedor?Como se tornar um advogado empreendedor?1. Gestão de escritório2. Marketing jurídico3. Educação continuada e atualizações constantes4. EspecializaçõesA advocacia é uma profissão antiga e bastante tradicional. Contudo, com as constantes mudanças no mercado e a popularização das ferramentas tecnológicas, é necessário buscar novas formas de fazer negócio.Nesse contexto, o advogado empreendedor ganha espaço e se destaca no mercado de trabalho. Quer saber mais sobre esse tema e como seguir prosperando na carreira jurídica? Continue acompanhando o conteúdo e entenda melhor!O que é um advogado empreendedor?Abrir o próprio escritório é o sonho de boa parte dos advogados. Entretanto, ser um advogado empreendedor ultrapassa essa concepção. Hoje, o profissional que deseja se destacar no mercado precisa aliar seus conhecimentos técnicos a habilidades de gestão. Para isso, aprimorar suas habilidades criativas e multidisciplinares são pontos fundamentais, indo em busca de novas possibilidades e inovação.Ou seja, o advogado empreendedor tem em vista criar algo diferente que agregue valor ao seu negócio. Tudo isso com planejamento estratégico e muito estudo.Qual a importância de ser um advogado empreendedor?O mercado é dinâmico e está em constante evolução. Assim, se antes o cliente ia até o escritório com uma demanda, hoje o profissional precisa considerar novas soluções para problemas que os clientes ainda nem sabem que tem.Nesse cenário, é necessário que o advogado vá além das matérias que aprendeu na faculdade. Por mais que uma graduação de qualidade seja a base, é necessário entrelaçar todo esse conhecimento e aprender maneiras e colocá-los em prática de forma menos engessada.Assim, o advogado empreendedor consegue encontrar caminhos que ainda não foram explorados e detectar grandes oportunidades em um mercado que parece saturado.Por isso, encare seu escritório como uma empresa e tenha um olhar inovador sobre a advocacia.Como se tornar um advogado empreendedor?Independentemente se você acabou de se formar ou se já está no mercado há algum tempo, é possível desenvolver as habilidades necessárias para se tornar um advogado empreendedor. Confira 4 delas a seguir!1. Gestão de escritórioO escritório de advocacia deve ser encarado como uma empresa. Por isso, reúna alguns conhecimentos relativos à administração do seu negócio. O MBA em Gestão Estratégica da Advocacia da POSESA pode ser uma ótima oportunidade para começar mudar sua mentalidade nesse sentido.2. Marketing jurídicoFoi-se o tempo em que os clientes vinham naturalmente até seu escritório. Parte central de empreender é atrair novas oportunidades e leads qualificados. Para isso, investir em marketing é uma alternativa vantajosa. Seja por meio das redes sociais, produzindo conteúdo jurídico ou participando de eventos, o advogado empreendedor sabe que precisa buscar novos mercados e oportunidades.3. Educação continuada e atualizações constantesPara manter um diferencial competitivo e agregar valor à sua empresa, o profissional precisa constantemente se atualizar com novos conhecimentos. Isso inclui a realização de pós-graduações, cursos de atualização e também de assuntos relacionados, como marketing, gestão e vendas.4. EspecializaçõesQuanto mais especializado você for, maiores as possibilidades de fornecer novas soluções para seus clientes. Por isso, se você encontrou um nicho interessante, vale a pena se aprofundar nele até dominar completamente o tema.Além de MBAs e cursos de especialização, participar de eventos, feiras e workshops são ótimos meios para ficar por dentro de tudo o que há de mais moderno na sua área de atuação.Não basta alugar uma sala e começar a atender clientes para o advogado empreendedor se destacar no mercado. É necessário ir além e ter uma visão inovadora sobre o próprio negócio. Para isso, o primeiro passo é buscar por informação e investir em qualificação de forma contínua.Está esperando o que para dar o primeiro passo para mudar seu futuro agora mesmo? Venha conhecer o MBA em gestão estratégica da advocacia e se destaque no mercado de trabalho!
   O que é o Branding Jurídico?Por que o Branding Jurídico é importante?Como fazer Branding Jurídico?Quais normas éticas o Branding Jurídico deve seguir?ConclusãoO Branding Jurídico, essencial no mundo competitivo da advocacia moderna, vai além da simples criação de uma identidade visual.Envolve a construção de uma reputação sólida, baseada em valores éticos, confiança e excelência profissional.Nesta era digital, compreender e aplicar os princípios do branding jurídico é fundamental para estabelecer uma presença única e memorável no mercado jurídico.O que é o Branding Jurídico?O Branding Jurídico refere-se à estratégia de construção e gestão da marca de um escritório de advocacia ou profissional do Direito.Envolve a criação de uma identidade única que represente os valores, a missão e a cultura da firma, além de estabelecer uma conexão emocional com os clientes.O objetivo do branding jurídico é diferenciar-se da concorrência, aumentar a visibilidade e a confiança no mercado, e atrair e fidelizar clientes qualificados.Isso é alcançado por meio da consistência na comunicação, da criação de uma reputação sólida e da oferta de serviços de alta qualidade.Por que o Branding Jurídico é importante?O Branding Jurídico é importante por várias razões:Diferenciação no Mercado: Em um mercado altamente competitivo, o branding jurídico ajuda os escritórios de advocacia e profissionais do Direito a se destacarem da concorrência, destacando seus valores, experiência e diferenciais únicos.Construção de Confiança: Uma marca forte e consistente inspira confiança nos clientes. O branding jurídico ajuda a construir uma reputação sólida e a transmitir credibilidade, essenciais para estabelecer relacionamentos duradouros com os clientes.Atração de Clientes Qualificados: Uma marca bem definida e reconhecível atrai clientes qualificados que se identificam com os valores e a imagem do escritório de advocacia, resultando em uma base de clientes mais sólida e leal.Fidelização de Clientes: O branding jurídico não se trata apenas de atrair novos clientes, mas também de manter os clientes existentes satisfeitos e engajados. Uma marca consistente e positiva fortalece os laços com os clientes e incentiva a fidelidade à firma.Valorização da Marca: Uma marca forte e reconhecida no mercado jurídico tem um valor intrínseco significativo. O branding jurídico bem-sucedido pode aumentar o valor percebido do escritório de advocacia, resultando em oportunidades de negócios mais lucrativas e parcerias estratégicas.Em resumo, o branding jurídico é essencial para o sucesso a longo prazo de um escritório de advocacia ou profissional do Direito, pois ajuda a construir uma identidade única, a fortalecer a confiança dos clientes e a diferenciar-se em um mercado cada vez mais competitivo.Como fazer Branding Jurídico?Fazer branding jurídico envolve uma série de etapas estratégicas para criar uma identidade de marca forte e consistente. Aqui estão algumas dicas sobre como realizar branding jurídico eficazmente:Defina sua identidade de marca: Identifique os valores, a missão e a visão do seu escritório de advocacia. Compreenda o que o torna único e como deseja ser percebido pelos clientes e pela comunidade jurídica.Conheça seu Público-Alvo: Entenda quem são seus clientes ideais, suas necessidades, desejos e preferências. Isso ajudará a moldar sua estratégia de branding para atrair e se conectar com seu público-alvo de maneira mais eficaz.Crie uma identidade visual impactante: Desenvolva uma identidade visual consistente, incluindo logotipo, cores, tipografia e elementos gráficos. Sua identidade visual deve refletir a personalidade e os valores do seu escritório de advocacia.Desenvolva conteúdo de qualidade: Produza conteúdo relevante e de qualidade que demonstre sua expertise jurídica e ofereça valor aos clientes e potenciais clientes. Isso pode incluir artigos, blogs, vídeos, infográficos e materiais educativos.Mantenha uma presença online profissional: Tenha um website profissional e responsivo que seja fácil de navegar e transmita sua mensagem de forma clara e eficaz. Esteja presente em mídias sociais relevantes para o seu público-alvo e mantenha uma comunicação consistente e engajada.Estabeleça autoridade e credibilidade: Participe de eventos da área jurídica, ofereça palestras, workshops e webinars, contribua para publicações especializadas e esteja ativo em organizações profissionais. Isso ajudará a estabelecer sua autoridade e credibilidade no campo jurídico.Ofereça uma experiência memorável ao cliente: Garanta que cada interação com seu escritório de advocacia seja positiva e memorável, desde o primeiro contato até a conclusão do caso. O atendimento ao cliente excepcional é fundamental para construir e manter relacionamentos sólidos com os clientes.Solicite Feedback e avalie resultados:Solicite feedback regularmente dos clientes para entender suas necessidades e melhorar continuamente seus serviços. Meça os resultados de suas estratégias de branding para identificar o que está funcionando bem e onde podem ser feitos ajustes.Ao seguir essas diretrizes e adaptá-las às necessidades específicas do seu escritório de advocacia, você estará no caminho certo para construir uma marca jurídica forte e bem-sucedida.Quais normas éticas o Branding Jurídico deve seguir?O Branding Jurídico deve aderir às normas éticas e regulamentações impostas pelas entidades de classe, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Brasil.Isso envolve evitar publicidade enganosa, respeitar a confidencialidade das informações dos clientes, não fazer promessas de resultados específicos e não utilizar métodos que possam comprometer a integridade ou a imparcialidade do advogado.É fundamental que as estratégias de branding estejam alinhadas com os princípios éticos da profissão jurídica, garantindo a integridade e a reputação do escritório de advocacia ou do profissional do Direito.Conclusão?Em suma, o branding jurídico é um investimento essencial para os escritórios de advocacia, pois fortalece a identidade, promove confiança e distingue-os em um mercado saturado. Ao adotar uma abordagem estratégica e ética, os profissionais do Direito podem consolidar sua presença e prosperar em um ambiente competitivo.Aprenda estratégias de marketing, planejamento financeiro, gestão e produtividade e mais, no nosso MBA em Gestão Estratégica da Advocacia!
?O que é um escritório virtual de advocacia?Como funciona um escritório jurídico virtual?Como montar um escritório de advocacia virtual?Quais as vantagens de um escritório virtual?ConclusãoCom o avanço da tecnologia e as mudanças no modo como o trabalho é realizado, os escritórios de advocacia virtuais estão se tornando uma opção cada vez mais popular e viável.Este modelo oferece flexibilidade, redução de custos e acesso a tecnologias inovadoras, transformando a maneira como advogados prestam serviços jurídicos e interagem com os clientes.Aprenda agora como montar um escritório de advocacia virtual!O que é um escritório virtual de advocacia?Um escritório de advocacia virtual é aquele que opera predominantemente online, utilizando tecnologias de comunicação e gerenciamento de casos para atender seus clientes.Esse modelo permite que advogados trabalhem remotamente, economizando custos com aluguel de espaço físico e proporcionando maior flexibilidade tanto para os profissionais quanto para os clientes.Como funciona um escritório jurídico virtual?Um escritório jurídico virtual opera principalmente online, usando comunicação digital para interagir com clientes e equipe.Documentos são armazenados em servidores na nuvem e gerenciados por softwares especializados. Advogados e clientes se comunicam por meio de e-mails, videoconferências e chats.Reuniões e audiências são realizadas virtualmente, economizando tempo e recursos. Medidas de segurança robustas são implementadas para proteger a confidencialidade e integridade das informações.Como montar um escritório de advocacia virtual?Montar um escritório de advocacia virtual é uma empreitada que exige planejamento estratégico e adaptação às demandas do mundo digital. Inicialmente, é crucial definir a estrutura e os serviços oferecidos, considerando as áreas de atuação e o público-alvo.Em seguida, é necessário investir em uma sólida infraestrutura tecnológica, incluindo software de gestão de processos jurídicos e sistemas de armazenamento em nuvem.O registro e licenciamento do escritório são passos indispensáveis, garantindo a conformidade com as regulamentações locais e a credibilidade perante os clientes.Paralelamente, é fundamental desenvolver uma forte presença online por meio de um website profissional, estratégias de marketing digital e redes sociais.A gestão de casos em um escritório virtual requer sistemas eficientes de comunicação e colaboração, possibilitando o acompanhamento remoto dos processos e a interação fluida entre os membros da equipe.Além disso, é essencial oferecer um atendimento ao cliente de qualidade, disponibilizando canais de comunicação acessíveis e mantendo um alto padrão de serviço.Por fim, a segurança da informação deve ser uma prioridade, com a implementação de medidas robustas para proteger os dados confidenciais dos clientes.Quais as vantagens de um escritório virtual?Um escritório de advocacia virtual oferece uma série de vantagens significativas em comparação com um escritório tradicional, incluindo:Redução de Custos: Um dos benefícios mais evidentes é a redução de custos operacionais, uma vez que não há necessidade de alugar ou manter um espaço físico. Isso inclui economia em aluguel, contas de serviços públicos, mobiliário de escritório e outros custos associados.Flexibilidade Geográfica: Advogados e funcionários podem trabalhar de qualquer lugar, desde que tenham acesso à internet. Isso permite uma maior flexibilidade geográfica e a possibilidade de atender clientes em diferentes localidades sem a necessidade de deslocamento físico.Acesso à Tecnologia: Escritórios virtuais têm acesso a uma ampla gama de ferramentas e tecnologias que aumentam a eficiência e a produtividade, incluindo softwares de gestão de casos, videoconferência, armazenamento em nuvem e assinaturas eletrônicas.Maior Disponibilidade: Os clientes podem acessar os serviços do escritório a qualquer momento, através de plataformas online, e-mail ou telefone. Isso proporciona uma maior disponibilidade e conveniência para os clientes, que podem resolver questões legais sem restrições de horário comercial.Ambiente de Trabalho Flexível: Advogados e funcionários têm a liberdade de organizar seu próprio ambiente de trabalho, o que pode aumentar a satisfação e a produtividade. Além disso, a flexibilidade permite conciliar melhor a vida profissional e pessoal.Redução do Impacto Ambiental: Com menos necessidade de deslocamento e utilização de recursos físicos, os escritórios virtuais tendem a ter um impacto ambiental menor, contribuindo para a sustentabilidade do planeta.Em resumo, um escritório de advocacia virtual oferece uma série de vantagens em termos de redução de custos, flexibilidade, acesso à tecnologia e conveniência para clientes e advogados, tornando-se uma opção cada vez mais atrativa no mundo moderno.ConclusãoEm resumo, os escritórios de advocacia virtuais oferecem eficiência, flexibilidade e acesso a recursos tecnológicos avançados, transformando a prática jurídica e melhorando a experiência do cliente. Essa evolução reflete a crescente integração da tecnologia no setor jurídico e a necessidade de adaptação às demandas do mundo digital.
Como funciona a rotina em um escritório de advocacia?Vale mais a pena trabalhar em escritório de advocacia ou montar o próprio empreendimento?Montar o próprio empreendimentoComo é trabalhar em um escritório de advocacia4 Dicas para começar a trabalhar em escritório de advocacia1. Tenha um bom currículo2. Abuse do Linkedin3. Promova o networking4. Faça cursos e atualizações constantesPara estudantes ou recém-formados em Direito, trabalhar em escritório de advocacia é algo essencial. Não apenas é uma forma de começar a carreira, mas também de adquirir conhecimento, experiência e confiança nas atividades.O início dessa jornada pode ser complexo. Muitas vezes, o profissional não sabe como encontrar boas oportunidades, tampouco o que fazer para superar a concorrência pelas vagas.Neste conteúdo, listamos as boas práticas para se destacar e começar a sua trajetória na advocacia. Continue a leitura e confira 4 dicas para trabalhar em escritório!Como funciona a rotina em um escritório de advocacia?Trabalhar em escritório de advocacia apresenta uma rotina com diferentes atividades:acompanhar intimações, publicações e andamentos dos processos;redigindo as peças correspondentes;atender aos clientes do escritório de advocacia;acompanhar os clientes em audiências e outros atos;avaliar contratos e documentos legais;realizar pesquisas de jurisprudência e teses;apoiar os demais advogados na solução de problemas jurídicos.As tarefas dependem bastante do tamanho do escritório e das especialidades dele. Há escritórios que atuam em todas as áreas, enquanto outros focam em nichos: Previdenciário, Família, Consumidor, Criminal e outros.Vale mais a pena trabalhar em escritório de advocacia ou montar o próprio empreendimento?A dúvida entre trabalhar em um escritório de advocacia e montar o próprio empreendimento é muito comum, alternativas repletas de pontos positivos e desafios exclusivos. Dessa forma, para tomar uma decisão, é necessária uma avaliação cuidadosa dos prós e contras para moldar uma carreira de sucesso.Trabalhar em escritórioO trabalho em escritório de advocacia é a chance de contar com uma estrutura pronta para desempenhar as atividades. Assim, há diversas vantagens:ter uma remuneração garantida no final do mês;reduzir a preocupação com a captação de clientes;contar com o apoio de profissionais mais experientes;dispensar despesas fixas, como luz, água, telefone e aluguel;associar a imagem a advogados já estabelecidos no mercado.Contudo, as desvantagens também precisar ser ponderadas:obedecer a um sistema de trabalho e regras preestabelecidos;ter uma participação menor nos honorários gerados pelo serviço;não ter autonomia para definir os horários de trabalho.Montar o próprio empreendimentoPor sua vez, a decisão pelo próprio escritório se destaca pela autonomia e potenciais ganhos:receber os honorários advocatícios integralmente;decidir sobre horários, método e sistema de trabalho;contar com mais liberdade para escolha de casos e áreas de atuação;ter liberdade para firmar parcerias com colegas.No entanto, os riscos devem ser considerados:realizar um investimento inicial e ter custos com o escritório;prospectar clientes na advocacia;lidar com as responsabilidades administrativas do escritório;não ter o apoio de profissionais estabelecidos para conquistar espaço no mercado.A escolha, portanto, envolve os riscos e segurança buscados no começo da atividade. Trabalhar em um escritório é um passo com mais garantias no começo de carreira, e nada impede que futuramente a pessoa se dedique ao próprio escritório.Como é trabalhar em um escritório de advocaciaOs desafios de trabalhar em um escritório de advocacia podem incluir a necessidade de lidar com causas complexas e prazos apertados. Além disso, muitas vezes é preciso lidar com demandas de diversos ramos do direito e conciliar os horários com audiências, diligências e trabalho interno.Já as oportunidades incluem trabalhar, desde o início, com um grande volume de casos, aprendendo todos os dias e colocando o conhecimento em prática. Também é possível construir o networking profissional e desenvolver habilidades complementares às competências técnicas, como liderança, inteligência emocional e gestão de tempo.4 Dicas para começar a trabalhar em escritório de advocacia1. Tenha um bom currículoO currículo profissional é uma apresentação sucinta das competências e experiências profissionais. É necessário enriquecer esse documento mesmo que você esteja começando na advocacia.Há vários exemplos de como enriquecer o currículo profissional:participe das comissões temáticas da OAB;faça cursos de curta duração para apresentar habilidades específicas, oportunidade ;indique os estágios realizados durante a graduação;incorpore competências comportamentais, como trabalho em equipe, comunicação e gestão de tempo.Lembre-se, ainda, de adotar modelos sóbrios e formais, característicos do setor jurídico. Igualmente, os erros de Português terão um peso relevante.2. Abuse do LinkedinMantenha as informações atualizadas no LinkedIn, especialmente com cursos e capacitações recentes. Entre as funcionalidades da rede, lembre-se de se conectar às pessoas com quem estudou ou trabalhou para facilitar as recomendações.Também, busque conexões com profissionais experientes da sua área e produza conteúdo. Outro cuidado é adotar palavras-chave do setor jurídico. Tais termos, se estiverem presentes no perfil, demonstram aderência às vagas disponibilizadas na rede social.3. Promova o networkingO networking profissional é um bom caminho para receber recomendações. Hoje, há meios tanto presenciais como a distância para construir esses relacionamentos profissionais.Na seccional da OAB da sua cidade, você pode participar de inúmeras atividades:programas de mentoria;comissões temáticas;OAB Jovem;palestras e eventos.Outro ambiente para se conectar são os grupos de WhatsApp e Telegram. Seja ativo em grupos de colegas da faculdade, OAB e organizações locais.4. Faça cursos e atualizações constantesAs pós-graduações e os cursos livres contribuem para o desenvolvimento de competências, melhoria do currículo e networking profissional. Por isso, são uma opção para se destacar e ter a chance de trabalhar em um escritório de advocacia.Aqui na Posesa, você pode ter uma preparação completa para trabalhar nos escritórios de advocacia:pós-graduações flexíveis que podem ser concluídas a partir de 3 meses;cursos livres para inserir competências específicas no currículo;EsaPlay, plataforma de cursos jurídicos nas principais áreas e acesso completo com uma assinatura.Trabalhar em escritório de advocacia é uma ótima opção para começar a carreira. No entanto, é preciso estar preparado para vencer a concorrência pelas oportunidades e conquistar seu espaço no segmento jurídico.Para encontrar cursos de pós-graduação direcionados para a advocacia, confira as soluções de educação da Posesa!
O que é um curso de prática jurídica e como funciona?Por que advogados iniciantes devem fazer um curso de prática jurídica?Como escolher um curso de prática jurídica?Quais são os 5 cursos livres de prática jurídica para advogados iniciantes?1. Relações Contratuais Advocatícias 2. Marketing Jurídico 3. Petição Inicial e a Propositura da Demanda: Técnicas de Formulação e Estratégias Processuais 4. Sistema Notarial e Registral Imobiliário5. Teoria Geral dos Recursos e Recursos em Espécie: Técnicas de Arrazoados e Prática nos TribunaisA formação em Direito é marcada por um intenso mergulho teórico, preparando os estudantes para os desafios da profissão. No entanto, a insegurança ao concluir o curso é comum. Afinal, a transição do ambiente acadêmico para a realidade profissional é desafiadora.Por isso, investir em um bom curso de prática jurídica se torna, assim, um passo crucial para o desenvolvimento e a confiança dos novos profissionais.Neste conteúdo, você entenderá como os cursos funcionam, os motivos para realizá-los, qual deles escolher, entre outros. Acompanhe!O que é um curso de prática jurídica e como funciona?É muito comum que o advogado iniciante se sinta perdido quando se depara com a prática jurídica. Afinal, na faculdade o aluno aprende conceitos e teorias, mas muito pouco de como atuar em audiências e elaborar peças processuais.Dessa forma, o curso de prática jurídica para advogados iniciantes é um grande aliado. Nele, o profissional aprenderá mais sobre:funcionamento da carreira jurídica;dia a dia dos fóruns;quando despachar processos;como gerenciar um escritório.Quem atua no mercado sabe que muitas vezes a prática pode ser bem diferente do que está nos livros. Após formado, muitas vezes você não vai ter a quem recorrer para pedir ajuda. Isso demonstra a relevância de um curso de prática jurídica para advogados iniciantes.Por que advogados iniciantes devem fazer um curso de prática jurídica?Por mais preparado que você esteja, ninguém quer passar pelo constrangimento de não saber o lado da mesa em que se sentar em uma audiência, como analisar um contrato, realizar um registro em cartório ou participar de uma negociação empresarial.Da mesma forma, também é conveniente saber como usar um software, alcançar um cliente, fechar uma venda e pensar de forma estratégica para se diferenciar dos demais.Essas situações são muito desafiadoras para quem ainda não tem muita familiaridade com a rotina da profissão.Dessa forma, um curso de prática jurídica para advogados iniciantes traz muitos benefícios. Além de aumentar sua confiança, é fundamental para facilitar a transição da teoria para a prática, melhorar seu currículo e contribuir para que você se torne um profissional mais capacitado, mesmo com pouco tempo de formado.Como escolher um curso de prática jurídica?Vale destacar que, para alcançar o resultado esperado, você precisa investir seu tempo e dinheiro em um curso de prática jurídica para advogados iniciantes de excelência. Portanto, na hora de se matricular, atente-se a alguns aspectos que tornam o ensino relevante, como: credibilidade no mercado;abordagem prática;professores experientes;conteúdo atualizado;suporte ao aluno.Quais são os 5 cursos livres de prática jurídica para advogados iniciantes?Antes de escolher seu curso de prática jurídica para advogados iniciantes, é necessário ter em mente suas aptidões e em que área aspira atuar.Afinal, o Direito tem vários nichos de sustentação e você precisa optar por um caminho para se especializar nele. A seguir, confira cinco opções:1. Relações Contratuais Advocatícias Para quem está dando os primeiros passos na advocacia, a primeira indicação é o curso sobre Relações Contratuais Advocatícias! O primeiro conteúdo é direcionado para a Fase Pré-Contratual e Fase Contratual. Nele, você entenderá todas as nuances que envolvem as duas fases. Dessa forma, será capaz de construir contratos sólidos,A segunda etapa é dedicada ao Contrato de Honorários. A partir desse conteúdo, você conseguirá elaborar contratos de honorários advocatícios considerando aspectos legais e outras particularidades da área.Outro conteúdo essencial é a Precificação dos Honorários Advocatícios. Considerada um dos grandes obstáculos para o advogado recém-formado, o curso ajudará nas estratégias de uma precificação justa para os dois lados.Logo em seguida, você estudará a Cláusula de Êxito. Dessa forma, saberá todos os cuidados e a sua aplicação nos contratos advocatícios.O próximo conteúdo aborda os Honorários Contratuais e Aspectos Legais. Você sairá preparado para analisar todos eles, sempre considerando as normativas éticas e legais.Por fim, você terá acesso à Tabela de Honorários da OAB e entenderá a sua aplicação na prática.O curso é recomendado para estudantes de direito, advogados, profissionais da área jurídica e todas as pessoas que desejam aprimorar seus conhecimentos sobre contratos e honorários na advocacia.2. Marketing Jurídico Num mundo em constante evolução, onde a informação flui rapidamente e as demandas legais se diversificam, a presença online torna-se indispensável. Advogados e escritórios jurídicos descobrem a necessidade de se destacar em meio à concorrência, não apenas pelos méritos acadêmicos, mas também pela visibilidade estratégica.O Marketing Jurídico Digital emerge como uma ferramenta atrativa, não apenas para divulgar serviços jurídicos, mas para construir uma marca forte e estabelecer conexões significativas com potenciais clientes.No primeiro conteúdo, você entenderá como construir uma marca com propósito, analisando cenários que impactam o marketing jurídico.Em seguida, Ambiente de Marketing e Análise de Mercado é o foco do próximo conteúdo. Você aprenderá na prática a analisar o mercado para identificar oportunidades e desafios.As estratégias de marketing digital e mídias sociais são assuntos essenciais em todos os mercados, inclusive de advocacia. Por isso, são os próximos temas a serem tratados no curso.Estratégia e Planejamento de Marketing, Marketing Jurídico e Ética, e Marketing Digital são as três últimas aulas. Dessa forma, estará preparado para montar as melhores estratégias de marketing, mas seguindo os princípios da advocacia.O curso é indicado para estudantes de Direito, advogados, profissionais da área jurídica, gestores de escritórios de advocacia e qualquer pessoa interessada em ampliar seus conhecimentos sobre marketing jurídico e estratégias digitais.3. Petição Inicial e a Propositura da Demanda: Técnicas de Formulação e Estratégias Processuais A habilidade de formular uma petição inicial é mais do que uma necessidade; é uma vantagem estratégica. Assim, o curso “Petição Inicial e a Propositura da Demanda: Técnicas de Formulação e Estratégias Processuais” oferece uma jornada de 30 horas para aprimorar suas habilidades e destacar-se no universo jurídico.Participando do curso, você passará pelo conteúdo de Produção Antecipada de Provas, que com os procedimentos e requisitos necessários para garantir a eficácia do processo.Em seguida, você aprenderá sobre Tutelas Provisórias a partir de diferentes análises e saberá como aplicá-las em diversas situações.O próximo conteúdo abordará a Jurisdição e Competência, apresentando os conceitos e como elas influenciam o tribunal responsável pelos julgamentos de casos.Em seguida, você se aprofundará na importância da Causa de Pedir e Pedidos na elaboração da petição inicial.Denunciação da Lide e Desconsideração da Personalidade Jurídica; Citações e Intimações; Audiência de Mediação ou Conciliação; Execução por Título Executivo Extrajudicial; e Cumprimento de Sentença são os conteúdos seguintes do curso Petição Inicial e a Propositura da Demanda.O curso é destinado para estudantes de Direito, profissionais da área jurídica, empresários e qualquer pessoa interessada em aprofundar seus conhecimentos sobre os temas abordados, ampliando sua capacidade de atuação no âmbito jurídico.4. Sistema Notarial e Registral ImobiliárioCaso você seja um entusiasta do universo imobiliário ou um profissional que visa aprimorar suas habilidades neste campo, o curso “Sistema Notarial e Registral Imobiliário“é o seu passaporte para o conhecimento especializado. O primeiro conteúdo é direcionado para os Princípios do Direito Registral Imobiliário. Nele, você entenderá a sua importância e aplicação na prática.Logo depois, o tema do curso é Dos Notariados e dos Registros Públicos. Nele, você passará pelas análises das questões legais e entenderá as atribuições e responsabilidades desses profissionais.Da Qualificação dos Títulos Públicos, Particulares e Judiciais; Da Alienação Fiduciária de Bens Imóveis e Procedimento no Cartório de Registro de Imóveis e Da Usucapião Extrajudicial e Judicial são os conteúdos seguintes do curso.O curso é indicado para estudantes de Direito, advogados, profissionais da área jurídica, notários, registradores, e qualquer pessoa interessada em aprofundar seus conhecimentos sobre direito registral imobiliário, qualificação de títulos e procedimentos cartorários.5. Teoria Geral dos Recursos e Recursos em Espécie: Técnicas de Arrazoados e Prática nos TribunaisSe você está dando os primeiros passos no universo jurídico, é fundamental construir uma base sólida de conhecimento. Nosso curso de Teoria Geral dos Recursos é uma ferramenta valiosa para iniciantes, proporcionando uma compreensão abrangente sobre o intricado sistema de recursos jurídicos. Ao acessar esse material, você terá a oportunidade de desvendar os princípios que regem o uso de recursos, entender os critérios de admissibilidade e mergulhar nos tipos de recursos existentes. Dessa maneira, você estará melhor preparado para lidar com desafios práticos que surgem no dia a dia.Na POSESA, você encontra diversas possibilidades de cursos livres para aprimorar suas habilidades e adquirir um diferencial competitivo no mercado de trabalho. Pensando nisso, apresentamos o ESA Play, uma experiência educacional inovadora e flexível.Por meio de uma assinatura ativa, você conta com mais de 150 cursos e mais de 4.000 horas de conteúdo. Além de todas as vantagens exclusivas que você confere abaixo.Achou interessante? Descubra uma nova forma de aprender, crescer e conquistar seus objetivos profissionais com o ESA Play da POSESA.
Qual é o papel da Advocacia Empresarial para startups?Quais são os principais desafios da atuação da Advocacia Empresarial das Startups?Como atuar em Direito Empresarial para startups?Estruturação da pessoa jurídicaMapeamento da propriedade intelectualGovernança corporativaCumprimento das leisPor que a atualização jurídica é elemento essencial para atuar em Direito Empresarial para startups?As startups têm revolucionado diversos setores da economia com suas inovações disruptivas quando o assunto é tecnologia. No entanto, o caminho para o sucesso não é fácil e elas enfrentam desafios, como a falta de experiência em questões jurídicas. Ou seja, conhecem pouco a respeito do direito das startups. Nesse cenário, a Advocacia Empresarial assume um papel fundamental no apoio e no crescimento sustentável das startups. Os profissionais dessa área podem ajudar na escolha do melhor modelo societário, na elaboração de estatutos e acordos de sócios, na proteção da marca e patentes, na adequação à legislação vigente e em outros pontos essenciais.Leia e entenda a importância da atualização e da capacitação dos profissionais com expertise no direito dessas empresas, que já se tornaram comuns no mercado brasileiro e mundial.Qual é o papel da Advocacia Empresarial para startups?O Direito Empresarial, ou Advocacia Empresarial, é a área jurídica que estuda as normas relativas às sociedades empresárias e às relações societárias. Ele define os requisitos para a constituição de pessoas jurídicas, regulamenta os direitos e deveres entre sócios e terceiros.O ambiente de negócios de startups é dinâmico e complexo, envolvendo questões como captação de investimentos, propriedade intelectual, contratos e responsabilidades. Nesse cenário, o Direito Empresarial assume um papel fundamental para dar segurança jurídica e nortear a atuação dos empreendedores.Em primeiro lugar, ele ajuda a definir a estrutura societária mais adequada para cada modelo de negócio. Além disso, a legislação societária traz mecanismos, como estatuto social, que organizam de forma contratual as relações no seio da empresa.A Advocacia Empresarial também contribui para proteger a propriedade intelectual, seja por meio de patentes, marcas ou segredos de negócios.Quais são os principais desafios da atuação da Advocacia Empresarial das Startups?O ambiente jurídico-normativo nem sempre acompanha a agilidade e o dinamismo inerentes às startups, ou seja, o direito das startups ainda não está bem definido.Nesse sentido, cabe à Advocacia Empresarial identificar e antecipar os principais desafios jurídicos que podem impactar o crescimento e a estratégia desses negócios. Leis e regulamentos defasados, burocracia excessiva e lacunas legais são problemas comuns. Por exemplo, a legislação societária e contratual nem sempre contempla figuras jurídicas modernas, como diferentes modelos de sociedade e contratos flexíveis e adaptáveis às necessidades das startups.Outro desafio é orientar quanto aos aspectos regulatórios de sua atividade, evitando riscos de não-conformidade que podem acarretar sanções onerosas. Leis setoriais complexas exigem conhecimento especializado para interpretação e adequação dos modelos de negócio. Outros desafios são:proteção da propriedade intelectual;adequação da estrutura societária para captações de investimentos;relacionamento com investidores, aceleradoras e outros agentes do ecossistema, (contratos e negociações empresariais complexas que envolvem elevados valores financeiros).Como atuar em Direito Empresarial para startups?Seguem algumas recomendações práticas de como aplicar os conceitos de Direito Empresarial de forma a apoiar o crescimento sustentável dessas empresas inovadoras:Estruturação da pessoa jurídicaEm primeiro lugar, é fundamental estruturar a pessoa jurídica da startup de maneira apropriada. Embora a criação de uma empresa individual de responsabilidade limitada (LTDA) seja mais simples, recomenda-se desde cedo, para startups com potencial de escala global, a opção de uma Sociedade Anônima (SA). Isso vai facilitar processos futuros de captação de investimentos e emissão de ações.Mapeamento da propriedade intelectualÉ crucial realizar um mapeamento preciso da propriedade intelectual gerada. Isso inclui patentes, marcas, segredos industriais e direitos autorais. Proteger esses ativos por meio de registros é essencial para impedir sua apropriação indevida e dar segurança jurídica aos negócios. As leis brasileiras oferecem diversos mecanismos, como o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).Governança corporativaNa governança societária, recomenda-se a adoção de um estatuto social completo e um acordo de acionistas definindo claramente os direitos e deveres entre os sócios. Dessa maneira, é possível evitar conflitos futuros, especialmente em rodadas de investimento que diluem participações. Também é importante realizar reuniões de conselho e assembleias com regularidade para tomar decisões informadas e democráticas.Cumprimento das leisPor fim, é importante atentar para o comprimento da legislação tributária, trabalhista, consumerista e de proteção de dados pessoais.Por que a atualização jurídica é elemento essencial para atuar em Direito Empresarial para startups?O mundo corporativo vive em constante transformação, impulsionado pela inovação tecnológica e surgimento de novas ideias de negócios. Nesse sentido, a educação continuada revela-se elemento fundamental para quem deseja atuar profissionalmente na Advocacia Empresarial aplicada ao direito das startups. A atualização constante permite acompanhar a evolução da legislação e jurisprudência, preparando o profissional para assessorar os empreendedores de forma qualificada e segura do ponto de vista legal. Do mesmo modo, assegura que o jurista esteja apto a antever possíveis problemas e aconselhar soluções adequadas, considerando as particularidades inerentes ao universo das startups.Ao manter-se atualizado sobre as tendências do mercado e inovações legislativas, o profissional amplia suas chances de conquistar novos projetos e assumir posições de liderança. Não há como exercer com excelência a Advocacia Empresarial aplicado ao direito das startups sem a devida atualização jurídica. Trata-se de requisito fundamental para garantir a prestação de um serviço jurídico eficiente, ético e em total conformidade com as leis e regulamentos vigentes. Dessa forma, se você deseja somente se atualizar em alguma matéria específica, no ESAplay você irá encontrar opção de curso livre de Advocacia para Startups. Esse curso é projetado para fornecer conhecimento aprofundado em tópicos atuais. Por exemplo, Empreendedorismo, Inovação, Estruturas Societárias, Marco Legal das Startups, Cláusulas Usuais em Contratos de Negócios e muito mais.Mas caso deseje fazer uma especialização completa, não perca tempo, conheça agora mesmo o curso de Advocacia Empresarial oferecido pela POSESA! Garanta que seus conhecimentos estejam sempre em dia com as mudanças legislativas!